You are using an outdated browser. For a faster, safer browsing experience, upgrade for free today.

António Modesto Nunes

Revista Design | 23 Nov 2016

FBAUP - A ARTE DO DESIGN

 

Distinguindo-se pela proximidade com as disciplinas e processos artísticos, o ensino do Design na Faculdade de Belas-Artes de Universidade do Porto [FBAUP] destaca-se igualmente pela qualidade do corpo docente que, graças ao facto de ser constituído tanto por profissionais atuantes no mercado como por académicos que se dedicam à investigação, confere aos alunos uma capacidade interventiva na sociedade pela expressividade a que os incentiva.
António Modesto Nunes, diretor do departamento de design da FBAUP, crê que uma universidade deve impulsionar a crítica e defende que o design ultrapassa o anterior conceito de estratégia comercial ou de prolongamento do marketing para se afirmar como disciplina que “trabalha com as nossas vivências e o nosso meio ambiente, objetivando aquilo a que podemos chamar ‘aperfeiçoamento’”.

Criado nos anos 70 e lecionado na então Escola Superior de Belas Artes do Porto, o primeiro curso de design (na época Design de Comunicação) rapidamente teve reconhecimento. O que terá levado a este sucesso?

O curso de design começa graças à Revolução do 25 de Abril. Até 74, não existiam cursos oficiais de design. Apenas havia uma privada em Lisboa, o IADE, que, desde finais dos anos 60, tinha essa incumbência. Por sua vez, no Porto, existia desde há muito uma tradição cultural ligada às artes gráficas. Esta tradição deu origem, mal eclodiu a liberdade, à reivindicação por parte de alguns professores a ela ligada que já então desenhavam capas de livros, cartazes, ilustrações ou que estavam ligados a estúdios e tipografias. Daí que o curso tenha aberto com a designação Design de Comunicação/Arte Gráfica. Começou a funcionar no ano letivo de 1976/77 e apenas na área da comunicação gráfica. A abertura do país à modernidade e ao exterior tornou o design mais visível, a sua necessidade começou a sentir-se e o seu reconhecimento foi-se impondo naturalmente.

O que distingue o ensino de design na FBAUP das outras instituições que também lecionam a disciplina, ou o conjunto de disciplinas?

Existem diferentes atitudes em relação à prática do design, ao seu ensino e aprendizagem. Há uma que encontro que é aferível pela própria natureza da FBAUP – tivemos sempre muita proximidade com as artes. Existem escolas de design, de artes aplicadas, criadas como alternativa às artes. Na FBAUP não. Parte do currículo do curso de licenciatura de design aqui lecionado é comum ao dos cursos de artes plásticas.
Entendo que podemos dizer que o design é uma arte, que é uma arte aplicada, ou dizer que o design é pior quando é artístico, autoral. Considero esta abertura a várias interpretações como vantajosa. Se entendermos que o design é mais um serviço estaremos situados numa espécie de interface entre a encomenda, o cliente e o público. Mas se entendermos o design mais como modo de expressão, ainda que através de artefactos utilitários, também não vejo mal nisso. Penso que a escola traduz um pouco esse leque.
(...)

Publicado na ROOF 5

 

 

 

Texto: Paula Monteiro
Fotos: Orlando Fonseca e cedidas pelo Departamento de Design da FBAUP

 

 

Para ler o artigo completo assine a ROOF - An IN & OUT Magazine na versão em papel ou digital

Subscrever a Revista

ROOF MAGAZINE 7

Descubra a Última Edição

Subscrever a Revista

Relacionados

Maison Dada

Maison Dada

Revista Design
Dolce&Gabbana + Smeg

Dolce&Gabbana + Smeg

Revista Design
The Royal Studio

The Royal Studio

Revista Design
× ROOF MAGAZINE 7 Assine já!