Albano Jerónimo

Quando não está em cima de um palco ou em frente a uma câmara, o que é que lhe prende a atenção?

A família e os amigos. E… a família e os amigos.

Qual é o papel da família e dos amigos na sua vida?

Total. Ou seja, é intrínseco à minha existência. É o que me dá ânimo, é o que me faz levantar todos os dias para ter um horário laboral que é manhã, tarde e noite. E é o que me faz fazer aquilo que faço, desenvolver a minha arte: seja em palco, seja à frente de uma câmara, seja a dirigir.

Está profissionalmente ligado às artes performativas. De que forma é que as outras artes – como a pintura, o design, a arquitetura – estão presentes na sua vida?

Acho que na parte de pesquisa e de interesse pessoal, e em parte do meu trabalho – na construção de um espetáculo, por exemplo.

Já adquiriu alguma peça de arte?

Já. Tenho algumas.

E que significado lhes atribui?

O significado é o mesmo que ter uma planta a crescer em casa. É algo vivo, para mim. É algo que, todos os dias, quando é olhado, muda. O meu olhar sobre as peças muda e esse diálogo interessa-me bastante. Uma obra de arte obriga-me a isso: a um exercício do olhar e do sentido permanente.
(…)

Publicado na ROOF 18

 

 

Texto: Inês Mendes
Fotografia: Nuno Beja

TAGS

#Albano Jerónimo #Ator #Next Door #ArteCultura #Entrevista #Estilo #Roof Magazine

Dentro e fora de portas, na ROOF – An IN & OUT Magazine percorremos o mundo para reunir as melhores propostas de arquitetura, interiores, design, cultura e lifestyle.

DESCARREGAR APP MOBILE