Cerâmicas



A cerâmica é uma das artes que mais nos apraz e fascina. A palavra deriva do termo grego “Keramus” que significa terra ardida, queimada, o que nos remete para o seu fabrico.
A par de inorgânicos não metálicos submetidos a altas temperaturas, a cerâmica resulta, por exemplo, da cozedura de um ou mais barros. É, em suma, a arte de fabricar louça de barro, tendo a argila como matéria-prima. Mas nem só de barro se faz cerâmica. Faz-se, sobretudo, de marcas e ateliers que a levam até às nossas casas, até aos restaurantes que frequentamos, às montras que admiramos e às raízes que, por vezes, desconhecemos.
A cerâmica faz parte do nosso imaginário e habita-o, de forma única. Isto só é possível graças a marcas como a Bisarro, que recupera uma arte secular, como a MALGA, cujas taças de cerâmica simples embelezam mesas sem par e como a gama da Popeea Ceramic, cujas linhas retas e as formas simples nos enchem o olho.


©Lino Silva



Bisarro Ceramics

Uma arte secular 

A Bisarro é muito mais que um estúdio de design. É uma ideologia, uma forma de representar e dar a conhecer ao mundo o valor daquilo que é produzido no interior de Portugal. Tem na sua génese o barro preto. A arte e as pessoas que o praticam.
O conceito da Bisarro Ceramics baseia-se na forte simbiose entre os diferentes mundos do design e do artesanato, da qual resultam ideias e peças únicas. O barro preto pertence a uma arte secular passada entre as gerações de artesãos dedicados à produção e comercialização de utensílios e artigos decorativos. Fortemente ligada às raízes artesanais e criativas, a Bisarro procura conjugar, de forma harmoniosa, o tradicional e o moderno, ao mesmo tempo que procura novos caminhos que valorizem e impulsionem o design português. Para tal, à matéria base, o barro preto, juntam outros recursos nacionais, como a cortiça, a latoaria e o curtume. 




MALGA Ceramic Design 

O Alentejo à mesa

Na MALGA criam-se peças de cerâmica úteis, “simples objetos para usarmos diariamente, simples mas interessantes, que tornam o dia a dia mais bonito”. Assim o diz Mariana Filipe, a fundadora da marca. Lá, todas as peças são feitas à mão, produzidas em quantidades controladas numa pequena oficina em Lisboa. Mas a origem e inspiração remontam ao Alentejo, aos seus costumes, aos modos de fazer e de usar as peças de cerâmica. As técnicas utilizadas, por sua vez, são diversas e dependem das formas e dos materiais usados. Mariana utiliza moldes em gesso, a técnica de lastra e a modelação manual. Mas a sua técnica favorita (e a mais usada) é a roda de oleiro. Grande parte do seu trabalho são peças feitas por encomenda ou resultam de projetos em parceria com chefs e restaurantes. Ali, na MALGA, acredita-se que “todas as peças essenciais já foram um dia criadas por alguém e faz todo o sentido voltar a esses objectos e dar-lhes uma nova vida.”


©Sophie Determann



Popeea Ceramic range

“Crafting contemporary ceramics”

Linhas retas e formas simples. Assim é a linha de cerâmica Popeea. Desenvolvida para o projeto Casa Popeea, um boutique hotel no histórico bairro helénico de Brăila, na Roménia, juntou o design de Manea Kella à cerâmica desenvolvida por Melina Xenaki. A linha sofreu influências das cêramicas grega e otomana, recuperadas e exibidas no Museu de Brăila. As peças emanam uma pureza expressiva, a par de uma durabilidade e versatilidade exímias. Toda a gama é feita à mão em Hackney, Londres.


Texto
Mariana Ribeiro

Web
Bisarro
MALGA
Popeea

Dentro e fora de portas, na ROOF – An IN & OUT Magazine percorremos o mundo para reunir as melhores propostas de arquitetura, interiores, design, cultura e lifestyle.

DESCARREGAR APP MOBILE